E então, vamos falar da diversidade de manequins que existem hoje no mercado?

Podemos contar com uma enorme variedade de opções para  atender á todo tipo de tendência que vem surgindo.
Já reparou como a diversidade cultural vem influenciando cada vez mais a indústria de manequins?

Mas com tantos modelos, com tantas opções qual será a melhor para investir?

É durável? Qual material é o melhor? Quantos devo comprar? Compro todos iguais? Qual seria o manequim ideal para atender a minha necessidade….

Nada vende mais uma roupa do que um manequim, bem produzido, dentro de um esquema de exposição que o evidencie .



Os clientes decidem a sua compra através dele, e aquele tamanho único básico, cor da pele e muito magro, já não consegue mais criar esta ponte de comunicação entre o cliente e o ponto de venda.

Manequins em diversas posições para transmitir mais interações

Pensando nisto vamos seguir um roteiro prático para que você faça a compra ideal.

Muitas das coisas parecem óbvias, mas percebo que muitos possuem uma resposta muito genérica sobre o assunto ou nem pensaram sobre isto.

Representações mais reais geram proximidade

Vamos lá, leia cada uma delas e reflita :

  • A sua marca vende para quem? Em quem você quer gerar interesse? Como você vai falar com este público e sobretudo,  ouvi-lo para entender as suas necessidades, seu estilo e o que ele DESEJA?
  •  Qual é a imagem que a sua marca quer passar para este público que você quer atender? Como “traduzi-la” para um manequim, adereços, cores…
Manequins em posições diferentes
  • Qual o tipo de produto que você vai expor?  Analisando esta questão, será que compensaria então por exemplo, comprar somente bustos, que são ideais para expor peças da parte de cima, para não se preocupar com os outros acessórios como calçados? Importante: manequins só precisam ter cabeça se você for expor bonés, chapéus e outros acessórios.
Composições mais realistas
  • Qual a frequência de troca da vitrine? Dependendo desta frequência você pode escolher manequins mais simples para facilitar o rodízio. Normalmente, os manequins sem cabeças são ótimos para esta necessidade.
  • E o tipo de manequim…. temos cada vez mais biotipos e poses diferenciadas para formar cenários. Para o seu ponto de venda, levando em conta o rodízio da vitrine , qual seria  o ideal?
Manequins podem sim, contar uma história!

Manutenção. Sim, tudo precisa de manutenção nesta vida… até os manequins. Maquiagem, perucas, retoques…. reserve uma parte do seu orçamento para isto também.

Qual é a face do seu manequim?

Bom, agora que você avaliou tudo isto qual o material é o ideal para você?

Vou colocar aqui os mais comuns:

Plástico: tem uma menor resistência e o seu acabamento é bem artificial. O custo fica em torno de R$ 300,00. Se for optar por aqueles tradicionais sem braços e sem cabeça você pode encontrar em torno de R$ 100,00.

Fibra: uma das tendências de 2016 o manequim de Fibra de Vidro Cabeça de Ovo traz maior elegância na exposição das peças. Temos o manequim importado e o nacional.

Os manequins de fibra  importados são fabricados com uma fibra super rígida, tem encaixes mais precisos e o acabamento é melhor, porém, o valor comparado ao nacional pode ser 2 ou 3x mais. A média do manequim nacional fica em torno de R$ 490,00 enquanto que o importado por R$ 950,00. (CONSULTE VALORES ATUAIS!!!)

A diferença com os nacionais seria mais a questão do acabamento,  pelo que pude notar, mas, caso você opte por eles,  por causa do custo, capriche na produção e cenografia.

Produção de Manequins será essencial para chamar a atenção

Flexíveis: a estrutura é feita em aço carbono com revestimento em espuma de poliuretano flexível de alta densidade e a forração  em malha crua. São muito utilizados para exposição de artigos infantis. Dão mais graça e movimento á vitrine.

Manequins Infantis

Dentro destes materiais apresentados temos cada vez mais acabamentos variados, com cores, mistura de elementos como couro, tecido, madeira, manequins sem cabeça ou com cabeça de ovo, manequins que representam a face humana em detalhes, perucas, enfim dá para variar bastante.

Manequins coloridos

Manequins estilosos com braços em madeira
Posições diferentes demonstram mais vida
Manequins sem rosto… será que funcionam mais?

Fala-se muito em usar manequins neutros e pensamos: cor da pele ou branco. Mas temos também o preto ou grafite que propõe uma nova estética e que pode diferenciar o seu ponto de venda dos outros. Pense nisso.

Todos em uma cor

Lembrando que é muito importante antes de tudo, você verificar qual o ideal para seu negócio.

DIVERSIDADE

Não posso deixar de destacar também os manequins da Universal Display que possuem implantes eletrônicos que trazem maior interação entre o cliente e o ponto de venda. Tudo isto através de um aplicativo, que tem como objetivo trazer mais envolvimento entre o cliente e a marca trazendo looks e valores. Tudo isto para criar engajamento, ou seja, envolver cada vez mais o cliente com o a sua marca.

REPRESENTATIVIDADE

E já que estamos falando nos diversos padrões de manequim que buscam representar os diferentes biotipos e buscar valorizar cada vez mais as diferenças individuais, a ONG Pro Infirmis, promoveu também uma campanha para incluir pessoas com deficiências físicas no mundo dos manequins.

Uma pena isto ser uma pequena iniciativa e ainda ter tantos olhares preconceituosos.

Mas enfim, lembre-se:

Não se trata só de pegar um manequim, fazer uma super produção e não dialogar com o seu cliente. Procure pensar que o seu cliente é uma pessoa que têm  vontades e anseios como você. Fale com ele, através da produção que você fizer. Saia da mesmice, dos padrões.

Quem disse que manequins estáticos não podem passar animação?

A visão é responsável por 83%  do encantamento que o cliente tem em seu ponto de venda.

Transforme o ponto de venda em uma ferramenta de conexão. ( Você pode se informar melhor sobre os 5 sentidos no artigo: Assim como os olhos são as janelas da alma, a vitrine são os olhos da loja).

Procure desenvolver o olhar, criar e recriar.

Para sobreviver como loja física é preciso ser diferente.

É preciso engajamento, envolvimento, por isto precisamos entender o nosso consumidor e pensar em uma trajetória que nos represente como marca, esta trajetória é a nossa estratégia.

Com a desaceleração da economia precisamos ter um plano B, C ou até um D, que realmente nos faça voltar á nossa rota. Não copie do concorrente. Provavelmente o que serve para ele não vai servir para você.

O que achou do artigo? Compartilhe, dê a sua opinião.

Até a próxima.

Fontes de pesquisa:

www.mmdamoda.com.br
www.whatevervarejocriativo.com.br
www.cetcindustrial.com.br
www.expomanequin.com.br
www.equipaloja.com.br